Loja Social da JF Amora reabre portas

A Loja Social, um projecto da Junta de Freguesia de Amora, reabriu as suas portas à população mais carenciada e sinalizada pelos serviços autárquicos.

Todos os dias o telefone toca e do outro lado dá-se conhecimento de mais uma vida que ficou suspensa ou afundada numa situação precária, em muitos casos, devido aos efeitos colaterais da pandemia.
À existente lista de famílias carenciadas e sinalizadas, que oscilava entre a meia centena e a centena, juntaram-se muitas outras, as de classe média, afectadas pelos lay offs, despedimentos e por uma crise económica e sanitária abruptas.

“O período de confinamento agudizou fragilidades já existentes e trouxe para uma situação de carência económica famílias que tinham até uma vida estável”, começa por esplicar Manuel Araujo, Presidente da Junta de Freguesia de Amora. “Isto ficou notório quando, a Brigada Amora Solidária entrou em funcionamento, sobretudo, e começou a ter de dar resposta a pessoas cujas empresas empregadoras entraram em lay off, por exemplo. As despesas eram certas e correspondiam aos salários recebidos pelo casal ou por um dos membros, e deixaram de ter esse ordenado completo e viram-se numa situação complicada de escolher entre pagar as contas ou comprar bens alimentares”.

Neste momento, e de acordo com o último relatório de actividades, a Junta de Freguesia de Amora presta apoio e acompanhamento regular a cerca de 200 agregados familiares.

Destes, cerca de 52, tinham na Loja Social um apoio extra na “aquisição” de alguns bens a que o dinheiro não chega, como: vestuário, calçado, brinquedos e produtos para o lar.

“Com as medidas adjacentes de prevenção da propagação do novo coronavírus, a Loja Social teve de encerrar, sendo o apoio prestado pelo Gabinete de Acção Social que agregava os pedidos mais urgentes aos cabazes alimentares”, relembra o presidente da Junta de Freguesia de Amora.

Com o apaziguar das medidas e o surgimento de situações de carência, a Loja Social reabre às famílias sinalizadas, a 13 de Outubro, todas as terças e quintas-feiras, com um voluntário que garante a abertura das portas entre as 15h30 e as 18h30.

A Loja Social aceita doações de:
- Produtos de higiene pessoal e casa
- Cobertores, edredons e mantinhas
- Lençóis (criança e adulto)
- Roupas, sobretudo casacos quentes (bebé, rapaz e homem)
- Fraldas (Recém-Nascido a T5)
- Produtos de puericultura (higiene bebé)
- Brinquedos